Informações

Vagando: crianças e adolescentes com transtorno do espectro do autismo

Vagando: crianças e adolescentes com transtorno do espectro do autismo

Transtorno do espectro autista e vagando

Quase metade das crianças com transtorno do espectro autista (TEA) tenta vagar ou fugir, mesmo quando há um adulto supervisionando-as.

Às vezes, crianças com TEA vagam sem rumo. Outras vezes, eles querem chegar a algum lugar em particular ou saem de repente para fugir de algo.

Crianças com ASD vagam por muitas razões. Por exemplo, eles podem querer:

  • evitar algo em seu ambiente, como barulho
  • vá para um lugar favorito, como o parque
  • procure um estímulo sensorial, como a água
  • sentir no controle
  • ser perseguido.
Se seu filho estiver em perigo imediato ou com risco de vida, ligue para 000 imediatamente.

Como evitar a perambulação: abordagem comportamental

Entendendo por que seu filho vagueia pode ajudá-lo a evitar vaguear.

Você pode fazer isso olhando os errantes como um Sanduíche ABC:

  • UMAntecedents: os 'gatilhos' para os errantes
  • Bcomportamento: a maneira como seu filho responde ao gatilho
  • Cconseqüências ou 'recompensas': o que seu filho evita perambular, como sair de uma situação estressante ou chegar a um lugar favorito.

Você pode trabalhar na perambulação do seu filho alterando os gatilhos ou as recompensas que o filho recebe por perambular.

Por exemplo, seu filho adora água e sempre corre em direção a piscinas, rios ou lagos. Se você for passear ou fazer um piquenique, verifique se há grandes massas de água perto de onde está indo e mude sua rota ou local de piquenique para evitar a água.

Ou, se você souber que seu filho foge do barulho, pense em como tornar o ambiente mais calmo para ele. Outra opção pode ser encontrar um espaço seguro e silencioso para o qual seu filho possa ir quando as coisas ficarem demais.

Nosso artigo sobre o gerenciamento de comportamentos desafiadores em crianças com TEA tem mais detalhes sobre como usar a abordagem sanduíche ABC. Além disso, intervenções baseadas em uma abordagem de Análise Aplicada do Comportamento (ABA) podem ajudar na perambulação do seu filho. Essas intervenções usam técnicas especializadas e estruturadas para ensinar às crianças novos comportamentos e habilidades.

Dicas práticas para evitar divagações

As dicas práticas para impedir a perambulação incluem:

  • colocando fechaduras em suas portas que seu filho não pode alcançar
  • usando portões e cercas de segurança em seu jardim
  • usando um cinto e guia (se você estiver confortável com isso) para impedir que uma criança caia na estrada
  • mantendo o olho em onde seu filho está, dentro e fora de sua casa.

Como manter uma criança errante segura: dicas

Essas dicas podem ajudar a manter seu filho com transtorno do espectro do autismo (ASD) seguro, se ele se afastar.

Se seu filho conhece algum habilidades de segurança, pode ajudá-la a evitar o perigo. Você pode usar o Social Stories ™ para ensinar seu filho sobre segurança no trânsito e no trânsito, perigo mais estranho, segurança contra incêndio e segurança da água. Se seu filho tem fascínio pela água, é uma boa idéia ensiná-lo a nadar, bem como quando não há problema em estar na água.

Se você veste seu filho com roupas brilhantes e distintas quando você sai, ajuda você e outras pessoas a identificar seu filho se ele se afastar.

Seu filho pode usar um etiqueta ou pulseira de identificação que tem seus detalhes de contato e uma declaração de que seu filho tem ASD. Se ela vagar e se perder, as pessoas saberão para quem ligar.

É uma boa ideia ter um plano de emergência. O plano deve incluir:

  • nome, foto e descrição do seu filho
  • lugares onde seu filho pode ir
  • locais perigosos para verificar primeiro - por exemplo, sua piscina ou a estação de trem local
  • informações sobre como seu filho pode reagir a pessoas que ele não conhece ou a se perder
  • detalhes de contato da polícia local, de seus vizinhos e de qualquer lugar que seu filho possa ir - por exemplo, a estação de trem
  • sua informação de contato.

Compartilhe seu plano de emergência com cuidadores, amigos, vizinhos, família, escola do seu filho e polícia local. Você também pode ajudar as pessoas a conhecer seu filho, para que elas tenham maior probabilidade de agir - e saber o que fazer - se acharem seu filho sem supervisão.

Solicitando ajuda da comunidade
As pessoas da comunidade, como funcionários da piscina ou da estação de trem, geralmente querem manter as crianças seguras; portanto, provavelmente terão prazer em ajudá-lo com a perambulação de seu filho.

Por exemplo, se você for muito à piscina local, peça à equipe que mantenha uma foto do seu filho em mãos com o nome e o número do telefone.

Se seu filho tiver uma obsessão por trens e for até a estação de trem local, você pode organizar uma viagem especial à estação de trem para conhecer alguns funcionários. Explique que seu filho tem TEA e o que isso significa - por exemplo, ele caminha até a estação para poder assistir aos trens. Você também pode informar à equipe se o seu filho responderá se alguém ligar para ele, se ele pode responder verbalmente a uma pergunta e assim por diante.

Quando você for à estação de trem com seu filho, diga olá à equipe para ajudá-lo a lembrar de você e seu filho.

Conversando com a escola do seu filho
Como parte da preparação para o seu filho começar a escola primária ou passar para o ensino médio, você estará trabalhando com funcionários da escola, professores, prestadores de intervenções precoces e outros trabalhadores ou assessores de apoio para desenvolver um plano de transição para o seu filho.

Como parte desse plano, você e a equipe da escola analisarão o comportamento errante de seu filho e as formas de preveni-lo ou gerenciá-lo. Você pode discutir seu plano de emergência com a equipe e perguntar como eles manterão seu filho seguro, tanto na escola quanto em excursões e acampamentos.

Conversando com a polícia local
Se você possui uma delegacia de polícia local, é bom apresentar os policiais ao seu filho ou visitar a delegacia e dar aos policiais uma foto do seu filho. Você pode informá-los sobre a perambulação de seu filho, para onde ele provavelmente irá e por quê.

Você também pode contar à polícia sobre o nível de desenvolvimento e as habilidades sociais do seu filho. Por exemplo, seu filho terá medo se um policial se aproximar dela? Ela entenderá o que o oficial está dizendo? Isso pode ser particularmente importante para adolescentes com TEA, porque às vezes pode parecer que eles não cooperam de propósito.

Obtendo ajuda profissional para perambular

Um Board Certified Behavior Analyst® ou outro profissional experiente pode ajudá-lo a entender e gerenciar o comportamento do seu filho. Isso pode ser particularmente útil se você já tentou outras estratégias para gerenciar a jornada sem sucesso.

Cuidar de si mesmo, especialmente seu bem-estar físico e emocional, pode ajudá-lo a manter a calma e a consistência quando as coisas ficam difíceis. Amigos e familiares podem ser uma ótima fonte de apoio, assim como outros pais.